Mais sobre as dificuldades do chat.

Já fá uns anos que comecei estudar português, mas não tive a coragem de escrever um pequeno texto para o meu blogue até agora. O que me fez mudar a minha opinião? Umas velhas fotos do viagem a Portugal que encontrei de novo ontem quando pesquisava nas nuvens (acho que o cloud chama-se assim). Devido às saudades que essas fotos causaram, escrevi a página de Cowbird sobre Coimbra, e agora estou escrevendo o primeiro texto em português para Une belle infidèle!

Ainda tenho muito que aprender, e estou convencida de que esta página é cheio de erros; por isso, peço aos leitores que falam português ser pacientes! Este texto é um experimento, mas também uma continuação da análise sobre os problemas das conversações com mensagens instantâneos. Hoje, na tarde, falei com um bom amigo no chat. Si eu escrevo um mensagem, tento escrever em português para praticar, mas no chat falamos italiano porque ele fala muito bem. Hoje, misturamos italiano, português e inglês, porque é mais divertido e porque isso é o bom de falar muitas línguas.

Nos últimos três dias falei com varias pessoas no chat, e já o tenho claro: o problema não é só do chat! Falei com amigos e amigas, e com meios namorados (chamo-lhos assim porque não tenho uma palavra melhor para explicar o que são), e só tive problema com um deles. Isto deu-me algum pensamento: pode ser que o problema seja a língua, mas duvido poder culpar só o chat; acho que o problema é particularmente a pessoa que está no chat.

Em alguns chats não há muitas carinhas, e as correções automáticas às vezes cambiam os mensagens e te fazem dizer o que não queres, mas mesmo que recebi algo estranho, não pelejei com ninguém mais que com um deles. De verdade queremos seguir dizendo que o problema é a falta de feedback nas intenções de quem escreve? Agora já vou aceitando que não sabemos comunicar o que não queremos entender-nos, porque fiquei mais feliz depois de falar com os demais.

O resultado dista análise é que a comunicação não só depende da língua, do meio usado e das dificuldades técnicas, mais também da vontade dos participantes do que possa haver um intercâmbio; também, um resultado é que tenho que escolher melhor algumas das pessoas com as que falo. Além disso, mesmo que não tem relação com os chats, acredito que preciso dum pastel de natas e dum bolo de bolacha para que o meu dia de português fique completo; mas, para isso, tenho de voltar a Portugal, pelo menos para o bolo de bolacha!

Por favor, comentai e corrigi, gostaria muito disso e ficaria grata!

Leave a comment

2 Comments

  1. José

     /  10/05/2014

    O teu português está (quase) perfeito! Quem me dera ainda falar assim italiano! Coimbra está à tua espera. Um beijinho grande.

    Like

    Reply
  2. José

     /  10/05/2014

    José

    Like

    Reply

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: